Meu direcionamento atual e as inteligências com as quais tento trabalhar hoje só foram possíveis pelos ensinamentos, bondade e paciência de meu professor Lama Padma Samten, que abriu o caminho para as práticas de estabilidade, sabedoria e compaixão dos budas e bodisatvas.

Agradeço também todas as linhagens que mantém viva e disponível a possibilidade da iluminação completa. E especialmente os professores e professoras do Dharma que tive a sorte de encontrar presencialmente: Lama Alan Wallace, Mingyur Rinpoche, Jetsunma Tenzin Palmo, Tenzin Wangyal Rinpoche, Phakchok Rinpoche, Dzigar Kongtrul Rinpoche, Lama Zopa Rinpoche, Matthieu Ricard, Chögyal Namkhai Norbu, Dzongsar Jamyang Khyentse Rinpoche, Lama Tsering, Chagdud Khadro e Sua Santidade o Dalai Lama.

Pela formação de três anos, me capacitando a oferecer intensivos de TaKeTiNa no Brasil, agradeço Reinhard Flatischler (criador do método) e Cornelia Jecklin.

Agradeço imensamente também o apoio de minha parceira Isabella Ianelli, de Jeanne Pilli, Denise Barranco, Inez Campos, Stela Santin, Marcia Baja, Henrique Lemes, Marcelo Nicolodi, Mariana Aurélio, Eduardo Pinheiro, todos os praticantes ligados ao CEBB e também de outras sangas, de Eduardo Amuri, Fábio Rodrigues, Polliana Zocche, Guilherme Valadares, Felipe Ramos, de Bruno Ribeiro, Vanessa Krauskopf, Pati Passoni, Ian Black, Jeanne Callegari, Ana Thomaz, Mary Kogen, Lu Horta, Fernando Barba, Malu Maia, Jairo Viviani, de minha irmã Claudia, de meu irmão Alexandre Junior, de meu primo Bruno, de minha tia Benê, de meus pais Alexandre e Maria José, de meus avós, das várias pessoas que se alegram com minha vida e das incontáveis outras que já me ajudaram de algum modo sem saber.

Terry Bozzio e a arte do ostinato

terrybozzio

O ostinato é um padrão repetitivo dentro de uma composição. Ele pode ser apenas rítmico ou melódico também. Noálbum Drawing the Circle, Terry Bozzio usa o ostinato para compor uma base rítmica (na maioria das vezes, aplicada somente aos pés) e depois improvisa em cima. O resultado é musicalmente impressionante e é sempre uma aula de ritmo (destaques para Cairo, em 7, Jazz for One, ciclo de 9, e Quintessence, em 5).

Este vídeo é um trechinho da música “Samba Ousado” (album Drawing the Circle, download pelo eMule), retirado do vídeo Terry Bozzio In Concert (eMule: parte 1 e parte 2). Nele, Terry faz um padrão simples de samba nos pés, mas o ostinato (o verdadeiro diferencial da composição) é tocado por uma das mãos (no começo com a esquerda, depois com a direita) nos tempos 2, 3 e 4, com pausa no 1. Se fosse tocado no 1-2-3, ficaria mil vezes mais fácil! Além disso, ele alterna entre 4 tambores, deixando a execução ainda mais sofisticada.

Abaixo, deixo um vídeo do Demas Narawangsa, um garoto de 14 anos (para mim, o melhor baterista jovem atual, muito além do Tony Royster Jr), também solando em cima de um ostinato.

7 comentários

  1. Estou vendo todos os seus blogs. Nossa cara, esses rimtos são muito complexos. Nem entendi o que vc explica neles. Vou freqüentar aqui pra ver se um dia eu assimilo alguma coisa.

  2. O menino toca d
    Abraço!

  3. Esse muleke não toka bosta nenhuma, sai do tempo toda hora e faz uns negocios que não casam com os ostinatos.

  4. o player do vídeo não apareceeeeeeeeeu!!!!!!

  5. Boa tarde!, chamo-me Ricardo e adorei muito da tua página! Muito bonita muito bem!
    Adequa-se exactamente com tudo aquilo que aqui vi.Hoje por vezes há tanto que expressar nos blogues!Nada nada mais aliciante do que implementar a nossa escrita online!E por tudo isso escrevi este comentário!
    Assim como tu também eu tenho uma comunidade online de poker, passa por lá e deixa a tua postagem como fiz aqui…gostariamos imenso de lá ter um membro como tu….
    Adeus :)

  6. Eu como um amante do rítimo que sou, faço batidas até sem instrumento, gostei muito.
    Estou interessado pelo ostinato.
    Vou entrar mais a fundo no assunto.

Comments are now closed for this article.

Arriba!